Qual o melhor colchão para sua coluna?

Qual o melhor colchão para sua coluna?

Os consumidores devem ter cuidado na hora de comprar um colchão. A escolha do tipo, material e marca tem ligação direta com a qualidade do sono – e de vida – das pessoas. Dores de cabeça, cansaço e dores na coluna são reflexo da escolha equivocada na compra – e muitas vezes a marca do produto nem é o principal causador disso.

É importante ressaltar que os resultados da sua compra serão, parcialmente, responsabilidade da sua escolha – e isso envolve muitas pesquisas e buscas. Isso porque os diversos tipos de colchões disponíveis no mercado são desenvolvidos para os diferentes biótipos, necessidades e preferências. Separamos quatro tipos de colchões que se adaptam à massa corporal e promovem a melhora em problemas de coluna. Confira.

Colchão de espuma

Os colchões de espuma têm diferentes densidades justamente para se adequar com os diferentes biótipos do corpo. Esse “sistema” considera o peso e altura da pessoa para que ela, assim, possa alcançar os resultados desejados. Quanto maior a densidade do colchão, mais capacidade corporal ele terá.

A espuma pode promover benefícios para diferentes ocasiões, sendo uma delas para problemas na coluna. Ele é firme e ao mesmo tempo flexível, conferindo uma boa sustentação para a coluna e o resto do corpo. O fundamental, nesse caso, é escolher a densidade correta.

As principais marcas de colchão, como o Colchão Ortobom e Colchões Problel oferecem diversas opções desse tipos de produto.

Colchão de mola

Existem dois tipos de molas: a Bonnel e a Pocket. A Bonnel são molas de aço entrelaçadas e aguenta grandes capacidades de peso – ou seja, é ideal para pessoas com maior massa corporal. Esse tipo de mola é também conhecido pelo seu baixo ruído, pois são confeccionados com aço de carbono para gerar menos barulho.

As molas Pocket ou ensacadas são, literalmente, colocadas dentro de sacos. Isso significa que elas trabalham individualmente de acordo com os movimentos da capa, independentemente da quantidade de pessoas sobre ela. O resultado, por sua vez, é o molde da posição anatômica mais correta.

Colchão Terapêutico

O colchão terapêutico possui um modelo mais firme e é o tipo mais adequado para pessoas com problemas na coluna. Algumas das disfunções para os quais esse tipo de produto funciona como tratamento coadjuvante são: hérnia de disco, lordoses e outros agentes causadores de dores nas costas, além de ser altamente indicado para pacientes com problemas ortopédicos.

Colchão de viscoelástico

O colchão viscoelástico, mais conhecido como colchão NASA, promove um efeito “massageador”, ativando a circulação sanguínea graças à sua capacidade de adaptação do formato do corpo. São macios e distribuem uniformemente a massa corporal, conferindo maior estabilidade na coluna vertebral e cervical.

Modelos e marcas de colchões: qual a opção de espuma para seu peso?

Modelos e marcas de colchões: qual a opção de espuma para seu peso?

Na hora de escolher o colchão mais confortável, a densidade do produto está diretamente ligada ao peso e altura de quem vai usá-lo. Ou seja, quanto maior é a massa corporal da pessoa, maior deve ser a densidade do colchão. Todo fabricante de colchões, como os colchões Ortobom e os colchões Probel, promete as melhores condições possíveis no sono e, para que essa promessa seja cumprida, é necessário medir sua densidade.

Além do conforto, escolher a densidade correta reflete na maior durabilidade do produto, visto que sua utilização será mais adequada e, assim, não sofrerá danos de uso. Alguns colchões, sobretudo os de marcas top de linha, podem chegar a até 10 anos de vida útil – aliando, principalmente, alguns cuidados de higiene.

Medir a densidade do colchão serve tanto para solteiros como para casais. Para um casal, no entanto, o peso e altura usados no cálculo devem ser da pessoa que tem mais massa corporal, ou seja, a mais alta e mais pesada.

Afinal, o que é a densidade de um colchão?

A densidade é um termo técnico e se apresenta de acordo com as normas da ABNT e do INMETRO. O termo é usado para designar a quantidade de matéria prima utilizada na fabricação do produto. Por exemplo, um colchão D33 tem 33 kg de matéria prima – mas isso não significa que ele suporte somente 33 kg.

Os fabricantes utilizam diversas densidades para atender diferentes necessidades e preferências, separando, basicamente, por biótipos. Sendo assim, cada densidade suporta número X de “carga”, promovendo o uso mais adequado do colchão.

Medindo a densidade do colchão

Muitos casos em que o consumidor não está satisfeito com a compra envolve a questão da escolha inadequada do produto, afinal devem ser levados alguns pontos importantes para a total satisfação. Esse é o caso da densidade.

Geralmente, os sites dos fabricantes de colchões possuem calculadoras medidoras de densidade, o que facilita muito a escolha do consumidor. A conta é feita a partir do peso e altura da pessoa que utilizará o produto.

As densidades podem variar de D26, sendo essa a menor e D45, a maior. Confira abaixo uma tabela de adequação de densidade de colchão de espuma para se basear e realizar a compra mais vantajosa.

 tabela de adequação de densidade de colchão de espuma

É essencial lembrar que para casais deve-se considerar o peso da pessoa mais pesada e, para maior durabilidade, é preciso também saber cuidar do produto – mantendo-o com boas condições de higiene e limpeza.

Tipos de colchão: as melhores opções para o seu conforto

Tipos de colchão: as melhores opções para o seu conforto

Apesar da grande variedade de modelos, materiais, tecnologias e indicações, nem sempre é fácil escolher o melhor tipo de colchão para cada necessidade. Uma opção consciente e acertada deve sempre levar em consideração alguns aspectos importantes a respeito do biotipo, rotina e condições físicas do futuro usuário do novo colchão.

Independentemente da estrutura interna do colchão, sua principal função está na superfície. Ele deve proporcionar a sustentação adequada do corpo, mantendo os ossos e músculos alinhados em uma posição confortável, garantindo uma noite de sono de qualidade.

Para sanar as principais dúvidas sobre as categorias e estruturas mais comuns, conheça um pouco mais os modelos de colchão disponíveis no mercado.

Colchão de espuma

A categoria colchão de espuma inclui colchões sem estruturas metálicas e madeiras, preenchidos apenas com espumas e fibras, que podem variar de acordo com a densidade do modelo. Eles são indicados, principalmente, para quem busca mais firmeza na sustentação do corpo.

Colchão de mola

O colchão de mola pode ser a melhor opção para quem busca maior maciez. Além de proporcionar grande conforto e adaptação ao corpo, as molas proporcionam maior resistência na sustentação de corpos pesados.

É um dos modelos mais indicados para casais, pois alguns possuem conjuntos de molas ensacadas, não permitindo que os movimentos de um dos parceiros espalhem-se até o outro lado do colchão.

Colchão ortopédico

Mesmo que todo colchão exerça uma função ortopédica, o modelo que ficou popularmente conhecido como colchão ortopédico é composto por uma estrutura de madeira em seu interior, desenvolvida para proporcionar muito mais firmeza do que os colchões convencionais.

Por ser mais duro, ele é indicado pelo ortopedista para auxiliar no tratamento de diversos problemas de coluna. Vale lembrar, também, que o modelo está entre os mais pesados, dificultando sua locomoção constante.

Veja dicas para melhor escolher o seu colchão

Veja dicas para melhor escolher o seu colchão

Um bom colchão é um item de conforto indispensável para proporcionar não só boas noites de sono, mas também para manter a saúde de adultos e crianças de todas as idades.

Apesar de ser um produto extremamente durável, cada modelo possui um prazo de validade determinado e, cedo ou tarde, precisa ser substituído para garantir a integridade de seu revestimento e sua capacidade de sustentação do corpo.

Colchões velhos e desgastados podem causar diferentes males, como alergias de pele, dores de cabeça, problemas de coluna e dores no corpo. Por isso, veja algumas dicas de como escolher um colchão adequado às suas necessidades e preferências.

Tamanho

Quem dorme sozinho pode optar pelo colchão de solteiro (1,88m x 0,78m, aproximadamente). O colchão de casal pode variar de acordo com a preferência, entre o Queen Size (1,98m x 1,58m), King Size (1,98m x 1,86m) e até o Super King Size (2,03m x 1,93m).

É muito importante medir o espaço disponível no quarto e também observar, cuidadosamente, a medida da cama.

Densidade

Quem prefere ou precisa de uma sustentação mais firme pode optar por um dos diversos modelos de colchões de espuma. Eles estão disponíveis em diferentes materiais e densidades, como, por exemplo, os compostos em espuma viscoelástica, que não se deformam e adaptam-se ao formato do corpo.

Já os colchões de mola são os mais indicados para quem procura maior maciez e sustentação mais confortável. Eles podem ser compostos de molas de molejo tradicional, como as bonnel (entrelaçadas) e as molas pocket (ensacadas), que são costuradas individualmente e não espalham seu movimento, mesmo entre um casal de pesos diferentes.

Revestimento

Os colchões modernos contam com materiais que evoluíram muito. É possível escolher um revestimento composto de tecidos antialérgicos, tratados especialmente para evitar a proliferação de fungos e bactérias. Alguns colchões também contam com tecidos capazes de auxiliar o controle de temperatura, impedindo que eles esquentes demais em contato com o corpo.

Avalie todos esses aspectos na hora de substituir o seu colchão antigo por um novo. E não se esqueça de verificar as certificações de qualidade, histórico do fabricante, termo de garantia e prazo de validade.

Qual a melhor posição para usar o notebook ou ler na cama?

Qual a melhor posição para usar o notebook ou ler na cama?

O hábito já se tornou um dos mais comuns em todo o mundo – afinal, o conforto da cama geralmente se torna o espaço perfeito para ler aquele bom livro, ver as novidades através do celular ou até mesmo assistir a filmes e séries no notebook. E quem nunca usou a cama para essa atividade que atire a primeira pedra! Entretanto, a posição é prejudicial à coluna e pode causar dores e desconforto. Ficar sentado por horas usando o computador, então, é uma das piores coisas para as articulações, e pode gerar grandes problemas no futuro. Em geral, mesmo com o apoio de travesseiros, essa posição gera desconforto pouco tempo depois de começar a usar o computador e pressiona diferentes músculos, causando dores sentidas até mesmo no dia seguinte.

É possível tentar contornar essa questão e ainda otimizar seu tempo, sem perder o conforto das cobertas no frio ou o local macio que só sua cama consegue proporcionar. O mesmo acontece no caso de quem gosta de ler antes de dormir. Apoiar o livro sobre a cabeça gera dores nos braços e cansa pouco tempo depois de começar a folhear as primeiras páginas. Já no caso do livro apoiado sobre o travesseiro, a posição deixa as costas em uma posição desprivilegiada, força os braços e causa dores no pescoço. Por isso, vale a pena seguir os conselhos que buscamos.

Alternativas

Segundo os especialistas, a melhor maneira de usar o computador ou ler por um tempo prolongado é sentado e apoiando tudo em uma escrivaninha. Essa potura garante que a coluna esteja sempre na melhor posição e não sofra pressões tão intensas. A própria altura deve ser regulada para garantir que você não sobrecarregue os ombros e pescoço. Sem esquecer também do apoio para os pés, garantindo que a cadeira de escritório esteja posicionada tanto para acessar os objetos da mesa quanto para manter a circulação sanguínea das pernas em perfeito estado.

Segundo os médicos, usar o computador na cama sempre resultará em algum nível de prejuízo a alguma parte do corpo. Esse fator é inevitável; entretanto, é possível aliar o conforto sem precisar eliminar esse hábito completamente da sua rotina. Uma delas é usar sempre travesseiros e suportes macios, que garantem também que as costas fiquem sempre seguras e livres de tensão. Isso resulta em menos dores nos grupos musculares e mais proteção ao seu corpo.

Outra dica importante é apostar em um bom colchão, com a densidade certa para apoiar bem seu corpo. Caso ele seja muito mole ou fino, você logo sentirá os impactos do seu peso sobre o material. Tudo isso acarreta em mais dores e até mesmo prejuízos à coluna e às articulações. Uma das alternativas buscadas por muita gente são os suportes, geralmente encontrados em lojas de eletrônicos. Eles funcionam como uma bandeja e servem principalmente para aliviar um pouco a tensão nos ombros e nos braços. Assim, fica mais fácil enxergar a tela e digitar, mesmo sentado na cama.

Cuidados

O principal problema está justamente nesse relaxamento, que muita gente encara como vantagem. Ao sentar na cama, a maioria das pessoas vai se soltando. Isso faz com que ela acabe em uma posição quase deitada, flexionando o pescoço para conseguir ver o que está sendo transmitido na tela. A coluna cervical fica ainda mais pressionada e as dores são inevitáveis nesse caso. As dores se estendem desde a região da cervical até o pescoço e a parte superior das costas.

A atenção deve ser redobrada na hora de usar o computador na cama, mantendo sempre a coluna ereta e garantindo que, mesmo com o relaxamento, sua posição não acabe se desajeitando. O próprio uso dos computadores portáteis na cama exige mais força dos movimentos dos antebraços, forçando também os músculos dessa região. As posições não contribuem para o movimento e, pior, acabam por gerar ainda mais esforço nas atividades mais simples. Você sentirá dores na coluna, no cotovelo, nos punhos e até nas mãos. Fique sempre atento e realize pausas durante o trabalho, alongando o corpo e caminhando. Assim, você evita problemas posturais e garante ainda mais saúde e bem estar para o seu corpo.

Guia definitivo para a roupa de cama

Guia definitivo para a roupa de cama

A roupa de cama certa contribui diretamente para um bom sono. São lençóis macios e cheirosos, com o toque perfeito e o aconchego que só nossa própria cama proporciona. Nesse quesito, vale a pena ser mais detalhista e cuidadoso, e investir nos itens certos. Sem contar o visual do quarto, que ganha – e muito – com o jogo de cama com a estampa certa, que contemple o seu estilo e traga ainda mais elegância para o ambiente. Até na hora de comprar uma nova roupa de cama, vale a pena conferir algumas dicas da Costa Rica para acertar e evitar dores de cabeça. Sem contar a economia, aproveitando os produtos por muito mais tempo, mantendo o mesmo aspecto e sem estragar.

Etiqueta

As principais informações estão presentes na etiqueta. Atualmente, existem diversas variações de tecidos que são aplicados aos jogos de cama. Eles trazem característica especiais aos clientes, mas também precisam ser considerados na hora de irem para a máquina. Verifique se eles podem ser centrifugados, se há alguma objeção ao uso da secadora, o tipo de lavagem mais indicado, o uso de alvejante e até mesmo a maneira de secar. Com isso, a receita da lavagem fica muito mais simples e livre de medo.

Secar

Ao secar, sempre opte por deixar os lençóis, colchas e toda a roupa de cama à sombra. Isso evita que o sol incida diretamente e desbote a coloração. Além disso, evite ao máximo torcer e amassá-los. Tudo isso aparecerá na hora de arrumar a sua cama, e pode incomodar muito. Para evitara passar os lençóis, mantenha tudo esticadinho no varal. Além disso, sempre preste atenção ao tempo que ele ficará exposto. Sem deixar que eles acabem esturricados, o que dificulta também na hora de passar e diminui sua vida útil.

Tecidos

Na lavagem, é preciso também ter uma atenção aos tecidos dos jogos. Não misture algodão com poliéster, já que isso ocasiona as famosas bolinhas grudadas em outras peças. Sem esquecer de separar as peças brancas das coloridas. A escolha também varia de acordo com o gosto, necessidade e desejos. Os lençóis 100% algodão são os favoritos da maioria das pessoas, variando de acordo com a quantidade de fios. Os mais sofisticados possuem tramas com mais fios, em geral com algodão egípcio, que garante o toque macio. O poliéster e tramas mais largas geralmente beneficiam quem deseja praticidade na hora de lavar e secar. Há opções em percal, pique, malha e misturas de tecidos.

Tamanhos

Uma dúvida comum se refere ao tamanho do seu próprio colchão, e os padrões que variam para se adequar a cada metragem. O maior deles é o king size, com 2m de largura por 2m de comprimento. Já o queen size fica em torno de 1,6m de largura por 2m de comprimento. O padrão de casal tem 1,4m por 1,9m e os de solteiro são fabricados para 0,9m de largura por 1,9m. As indicações estão presentes na embalagem antes de comprar, e vale a pena sempre consultar.

Temas

A escolha dos temas e estampas é uma das principais questões de quem vai comprar um novo jogo. Em geral, os tons mais clássicos são os melhores, justamente por serem mais sóbrios. Isso faz com que você não canse das cores e do visual com facilidade – além de serem também mais tranquilos na hora de descansar, já que as cores mais estimulantes também dificultam no repouso. Ótimas opções com estampas também são encontradas, tudo de acordo com o restante da decoração do cômodo.

Guardar

O cuidado ao armazenar é uma das principais preocupações para garantir mais durabilidade ao jogo de lençóis. Se você prefere passar, pense em maneiras de dobrar que não acabem amassando os lençóis depois. Na organização, coloque sempre as peças recém lavadas mais ao fundo, para garantir que tudo seja usado periodicamente. Uma maneira de manter tudo em ordem é separar fronhas, lençóis e colchas em pilhas diferentes.

Troca do travesseiro e colchão

Por fim, vale a pena ressaltar que, além dos melhores jogos de cama, é preciso também se preocupar com a troca periódica de travesseiros e colchões. Isso garante mais proteção para toda a sua família e evita até mesmo casos de alergia. Isso porque, depois de algum tempo, mesmo com lavagens constantes da roupa de cama, é possível que esses materiais criem colônias de micro-organismos – como ácaros – e prejudiquem a sua saúde. Por isso, invista nos melhores modelos e durma sempre com tranquilidade.

9 Dicas para aumentar a vida útil do seu colchão

9 Dicas para aumentar a vida útil do seu colchão

Escolher um colchão com materiais top de linha vai garantir a alta durabilidade do produto. Entretanto, alguns procedimentos também podem ajudar a aumentar sua vida útil, garantindo todo conforto e segurança para você dormir tranquilamente, repor as energias gastas no dia a dia e ter um sono saudável, afinal, é essencial que isso aconteça para sua qualidade de vida.

Sendo assim, separamos 9 dicas para que você conserve os colchões da sua casa, assegurando mais durabilidade e bem-estar diário. Confira:

1. Rodízio

A primeira dica é realizar o rodízio do colchão. Trata-se de girá-lo quinzenalmente, ou seja, o lado direito vira o esquerdo e vice-versa.

Você pode também girar o colchão fazendo com que a parte inferior do colchão vire a parte superior (pernas e pés X cabeça e tronco, respectivamente), garantindo um equilíbrio de peso melhor. Isso porque o tronco humano é mais pesado que as pernas, e isso faz com que o lado que é rencostado o tronco seja mais desgastado;

2. Utilizar toda área útil

É importante utilizar toda a área útil do colchão, evitando a “preferência” de um lado para outro. Dormir somente em um lado todos os dias, vai desgastar o material e molas, deixando-o com um aspecto afundado, e nada confortável;

3. Não sentar nas bordas

Os colchões foram criados para deitar e dormir. Entretanto, é comum que as pessoas sentem nele para assistirem filmes ou utilizar o computador, mas isso deve ser evitado, se feito com frequência, isso porque o corpo demanda um peso ainda maior em uma só área do colchão quando sentado, podendo deformar o produto;

4. Não coloque-o no sol

Colocar o colchão e travesseiro para “tomar sol” para evitar a proliferação de ácaros, fungos e bactérias é um mito. Não é recomendado expor travesseiros e colchões no sol por mais de 30 minutos, pois os raios ultravioletas podem ressecar suas camadas interiores, estragando todo o material interno;

5. Não coloque-o no chão

Além de atrair ácaros, poeira, umidade e outras sujeiras, colocar o colchão no chão pode, também, acabar com a garantia do seu colchão (se o produto for novo);

6. Higiene (líquidos)

A higienização do seu colchão é essencial. Usar um aspirador de pó é a forma mais apropriada para realizar esse tipo de limpeza, porém, se você molhou acidentalmente seu colchão, coloque-o no sol por 30 minutos – não mais do que isso, como citado no item 4 desse artigo. Nunca use o secador para isso, pois ele danifica a estrutura molecular da espuma do colchão;

7. Ambiente arejado

Um ambiente com umidade pode provocar ácaros, bactérias e fungos, mofando o material do colchão;

8. Crianças x colchão

Além de perigoso, deixar com que as crianças pulem constantemente na cama pode danificar o produto, como a quebra da estrutura da cama, mola e afundamento da espuma;

9. Não coloque papelão entre o estrado e o colchão

O estrato foi criado justamente para que haja a ventilação apropriada para o colchão. Por isso, evite forrar seu estrato com papelão, evitando o mofo e, consequentemente, mau cheiro.

O que você precisa incluir no seu quarto de hóspedes

O que você precisa incluir no seu quarto de hóspedes

Receber alguém é sempre algo positivo, principalmente no caso de amigos e pessoas queridas. Essa hospitalidade geralmente transparece em pequenos elementos que conseguem tornar a estadia dessa pessoa ainda mais agradável. A decoração do quarto de hóspedes se torna o ponto central nessa hora. São diferentes objetos e mobília que trazem mais praticidade e conforto. Tudo isso sem gastar muito, ou realizar grandes modificações no cômodo. Atualmente, a tendência tem crescido cada vez mais, principalmente entre pessoas que oferecem um quarto em sua casa para viajantes. O hábito é muito comum na Europa, com o chamado Couth Surfing, e vem se popularizando entre os brasileiros. Por isso, vale a pena investir nesse cantinho da casa. Com as dicas da Costa Rica, tudo isso fica ainda mais fácil.

Cama

Para começar, nada melhor do que investir no modelo certo de cama e colchão. Afinal, na viagem, um dos aspectos mais importantes são as noites de descanso. Com uma noite bem dormida toda a experiência fica melhor, e o turista consegue aproveitar muito mais os passeios. Sem contar o conforto e o cuidado com a saúde ao oferecer um colchão de qualidade, e uma boa cama. Ela não precisa ser grande, e há modelos econômicos para escolher.

Cabides

Uma dica excelente, que não custa muito e é muito prática, são os cabides. Em geral, o hóspede desejará pendurar algumas peças de roupas para se acomodar com mais liberdade e praticidade. Se você deseja economizar espaço, invista em um bom cabideiro para apoiar tudo. Ele pode ser pregado nas paredes com facilidade, e tem um preço bem baixo. Tudo isso traz uma estrutura ainda melhor, e ajuda na experiência de viagem, se aproximando dos cuidados que só um hotel oferece.

Espelho

Outro elemento que ajuda na rotina do hóspede, e traz também mais privacidade, são os espelhos. Não é preciso muita sofisticação, basta um bom espelho de tamanho médio para que a pessoa consiga se olhar de corpo inteiro. Ele pode passar despercebido na rotina de muita gente, mas a falta de um bom espelho causa diversos transtornos, e até mesmo incômodos. Por isso, nada melhor do que deixar um canto do quarto reservado para eles, conciliando essa preocupação com a própria decoração do espaço.

Escrivaninha

Caso o espaço seja grande, vale a pena investir em uma escrivaninha. Ela será útil para deixar alguns pertences, ler, executar qualquer atividade ou estudo, e até mesmo apoiar o notebook com mais cuidado. Busque alternativas ainda mais econômicas, como mesas menores ou modelos dobráveis. Assim, elas só ocupam uma determinada área na hora que estiverem sendo usadas.

Cobertores e travesseiros extras

E, por fim, para garantir o máximo conforto, invista em um jogo extra de cobertor e travesseiros. Eles acompanham o jogo de cama e as toalhas no cuidado com o hóspede, e dão ainda mais liberdade. Nas noites frias, eles poderão dormir confortavelmente sem precisar sentir vergonha de pedir esses itens aos donos da casa. Isso transmite a preocupação com a pessoa que você está recebendo, e traz um pouco de requinte e estilo para esse ambiente.

Colchão: saiba escolher o mais indicado para cada tipo de corpo

Colchão: saiba escolher o mais indicado para cada tipo de corpo

Dormir é uma atividade que envolve o descanso pleno do corpo e da mente. Apesar disso, muitas pessoas levantam da cama já com uma sensação de cansaço, e até mesmo dores musculares – sintomas que podem indicar problemas relacionados ao colchão utilizado.

Especialistas alertam que investir em um modelo errado pode acarretar na baixa produtividade diária, problemas na coluna e diminuir a qualidade de vida. Por isso, o colchão mais indicado é aquele que se adapte ao seu corpo, esteja em boas condições de uso e tenha uma densidade compatível ao seu biótipo.

Vale ressaltar que os colchões têm prazo de validade e devem ser trocados ao primeiro sinal de mal-estar. Além disso, um erro muito comum cometido por quem está em busca de economia é comprar colchões usados, o que pode ocasionar problemas ainda mais graves e a longo prazo.

Tipos de colchão

Os colchões de espuma são considerados os mais leves do mercado. Eles oferecem um toque suave ao corpo e podem garantir bem-estar por serem adaptáveis ao modo como o corpo se acomoda ao deitar. Enquanto isso, os de mola são resistentes e trabalham para que se encontre uma posição confortável para o usuário.

Os colchões tipo “caixa ortopédica” são mais duros, normalmente fabricados com madeira. Eles são indicados para pessoas que já têm algum problema na coluna, como escoliose; porém, eles podem causar uma tensão muscular indesejada. Os de viscoelástico são feitos pela Nasa e podem se moldar exatamente ao corpo, exercendo pressões diferentes em determinados locais.

Mesmo com todas essas características o ideal é que o corpo se sinta totalmente confortável ao deitar no colchão, seja ele qual for. Um colchão muito macio pode não garantir uma sustentação e estrutura adequada, assim como aqueles que são muito duros podem provocar dores.

Em todos os casos, especialistas recomendam que seja feita consulta ao médico ortopedista para que ele realize uma avaliação mais detalhada sobre as condições dos ossos e músculos do seu corpo e oriente o modelo de colchão mais adequado.

Densidade dos colchões

A densidade do colchão é uma característica que influencia diretamente no seu bem-estar. Isso porque, a partir dela, é possível definir qual dos modelos melhor se adapta ao seu corpo, em relação ao peso e altura.

Para uma pessoa com até 50 kg, a densidade indicada do colchão é D23. Já quem pesa entre 51 e 60 kg, a opção ideal são os colchões com D26. De 61 a 70 kg, o D28. A partir de então, é preciso considerar a altura do indivíduo a fim de fazer uma compra certeira.

Pessoas com 71 a 80 kg, devem utilizar colchões D33 e caso ela tenha uma altura igual ou superior a 1,61m, pode ser usado o D28. Quando o peso varia entre 81 e 90 kg, o indicado é o D33 ou D28, para quem tem mais de 1,71m. Entre 91 e 100 kg, a opção ideal é o D45 ou D33, para pessoas com mais de 1,71m. A partir daí, o mais indicado é investir no D45.

Como escolher o colchão das crianças

Como escolher o colchão das crianças

Existem diversas opções de colchão para os pequenos; entretanto, algumas características devem ser levadas em conta. A proteção, estabilidade e conforto são alguns dos principais pontos aos quais os pais devem ficar atentos. Da mesma forma, o modelo de colchão deve se adaptar às necessidades de cada criança – por exemplo, colchões que não causam alergias, problemas de coluna ou desconforto pelo material usado na fabricação.

Cada fase de crescimento das crianças requer um colchão específico. A qualidade não depende somente de ele ser confortável, mas também de o modelo ser o certo para a idade do pequeno. Dessa forma, a densidade do colchão é essencial. Na primeira fase, quando são bebês, a qualidade do sono influencia o desenvolvimento e comportamento deles.

Assim, o mais recomendável para os recém-nascidos é o tamanho D18, que se trata de um modelo especial, também aconselhável até os 3 anos de idade. Entretanto, alguns itens como o peso da criança podem mudar essa opção. Outra alternativa é o colchão D28, para as meninas/os maiores.

Os modelos de colchão também se aperfeiçoaram e permitem que os pais escolham aqueles que oferecem mais proteção para os filhos. Características específicas que diminuem as tosses, engasgos e regurgitação podem ser encontradas em certos colchões. E, assim, facilitar a vida dos pais e proporcionar um sono mais saudável para as crianças.

Entre os 3 e 8 anos, o modelo com densidade D28 se adapta à maioria dos casos. A diferença é que nessa idade eles preferem ter mais liberdade, então vão se mexer mais durante a noite. O ideal é um colchão confortável e macio, mas sem perder a firmeza que permite que ele tenha um posicionamento correto da coluna. Outro fator que deve fazer parte do modelo é ser a prova de ácaros.

Com o tempo, o sono das crianças e sua quantidade em horas vão mudando. Após os 9 anos, as necessidades são diferentes e, caso a criança esteja mais pesada, o colchão deve mudar de densidade. É normal essa troca de modelos; ainda assim, a maioria dos colchões apresenta ótima durabilidade.

Por último, ao comprar um colchão prefira por não adquirir um usado, já que ele pode ser fonte de bactérias. O modelo de espuma é melhor do que o de molas, devido ao desenvolvimento da estrutura óssea das crianças, que não esta totalmente formada para usar tal modelo. E pesquise os modelos que estão expostos junto com a cama nas lojas, nem sempre eles são os mais adequados para as crianças.