9 Dicas para aumentar a vida útil do seu colchão

9 Dicas para aumentar a vida útil do seu colchão

Escolher um colchão com materiais top de linha vai garantir a alta durabilidade do produto. Entretanto, alguns procedimentos também podem ajudar a aumentar sua vida útil, garantindo todo conforto e segurança para você dormir tranquilamente, repor as energias gastas no dia a dia e ter um sono saudável, afinal, é essencial que isso aconteça para sua qualidade de vida.

Sendo assim, separamos 9 dicas para que você conserve os colchões da sua casa, assegurando mais durabilidade e bem-estar diário. Confira:

1. Rodízio

A primeira dica é realizar o rodízio do colchão. Trata-se de girá-lo quinzenalmente, ou seja, o lado direito vira o esquerdo e vice-versa.

Você pode também girar o colchão fazendo com que a parte inferior do colchão vire a parte superior (pernas e pés X cabeça e tronco, respectivamente), garantindo um equilíbrio de peso melhor. Isso porque o tronco humano é mais pesado que as pernas, e isso faz com que o lado que é rencostado o tronco seja mais desgastado;

2. Utilizar toda área útil

É importante utilizar toda a área útil do colchão, evitando a “preferência” de um lado para outro. Dormir somente em um lado todos os dias, vai desgastar o material e molas, deixando-o com um aspecto afundado, e nada confortável;

3. Não sentar nas bordas

Os colchões foram criados para deitar e dormir. Entretanto, é comum que as pessoas sentem nele para assistirem filmes ou utilizar o computador, mas isso deve ser evitado, se feito com frequência, isso porque o corpo demanda um peso ainda maior em uma só área do colchão quando sentado, podendo deformar o produto;

4. Não coloque-o no sol

Colocar o colchão e travesseiro para “tomar sol” para evitar a proliferação de ácaros, fungos e bactérias é um mito. Não é recomendado expor travesseiros e colchões no sol por mais de 30 minutos, pois os raios ultravioletas podem ressecar suas camadas interiores, estragando todo o material interno;

5. Não coloque-o no chão

Além de atrair ácaros, poeira, umidade e outras sujeiras, colocar o colchão no chão pode, também, acabar com a garantia do seu colchão (se o produto for novo);

6. Higiene (líquidos)

A higienização do seu colchão é essencial. Usar um aspirador de pó é a forma mais apropriada para realizar esse tipo de limpeza, porém, se você molhou acidentalmente seu colchão, coloque-o no sol por 30 minutos – não mais do que isso, como citado no item 4 desse artigo. Nunca use o secador para isso, pois ele danifica a estrutura molecular da espuma do colchão;

7. Ambiente arejado

Um ambiente com umidade pode provocar ácaros, bactérias e fungos, mofando o material do colchão;

8. Crianças x colchão

Além de perigoso, deixar com que as crianças pulem constantemente na cama pode danificar o produto, como a quebra da estrutura da cama, mola e afundamento da espuma;

9. Não coloque papelão entre o estrado e o colchão

O estrato foi criado justamente para que haja a ventilação apropriada para o colchão. Por isso, evite forrar seu estrato com papelão, evitando o mofo e, consequentemente, mau cheiro.

O que você precisa incluir no seu quarto de hóspedes

O que você precisa incluir no seu quarto de hóspedes

Receber alguém é sempre algo positivo, principalmente no caso de amigos e pessoas queridas. Essa hospitalidade geralmente transparece em pequenos elementos que conseguem tornar a estadia dessa pessoa ainda mais agradável. A decoração do quarto de hóspedes se torna o ponto central nessa hora. São diferentes objetos e mobília que trazem mais praticidade e conforto. Tudo isso sem gastar muito, ou realizar grandes modificações no cômodo. Atualmente, a tendência tem crescido cada vez mais, principalmente entre pessoas que oferecem um quarto em sua casa para viajantes. O hábito é muito comum na Europa, com o chamado Couth Surfing, e vem se popularizando entre os brasileiros. Por isso, vale a pena investir nesse cantinho da casa. Com as dicas da Costa Rica, tudo isso fica ainda mais fácil.

Cama

Para começar, nada melhor do que investir no modelo certo de cama e colchão. Afinal, na viagem, um dos aspectos mais importantes são as noites de descanso. Com uma noite bem dormida toda a experiência fica melhor, e o turista consegue aproveitar muito mais os passeios. Sem contar o conforto e o cuidado com a saúde ao oferecer um colchão de qualidade, e uma boa cama. Ela não precisa ser grande, e há modelos econômicos para escolher.

Cabides

Uma dica excelente, que não custa muito e é muito prática, são os cabides. Em geral, o hóspede desejará pendurar algumas peças de roupas para se acomodar com mais liberdade e praticidade. Se você deseja economizar espaço, invista em um bom cabideiro para apoiar tudo. Ele pode ser pregado nas paredes com facilidade, e tem um preço bem baixo. Tudo isso traz uma estrutura ainda melhor, e ajuda na experiência de viagem, se aproximando dos cuidados que só um hotel oferece.

Espelho

Outro elemento que ajuda na rotina do hóspede, e traz também mais privacidade, são os espelhos. Não é preciso muita sofisticação, basta um bom espelho de tamanho médio para que a pessoa consiga se olhar de corpo inteiro. Ele pode passar despercebido na rotina de muita gente, mas a falta de um bom espelho causa diversos transtornos, e até mesmo incômodos. Por isso, nada melhor do que deixar um canto do quarto reservado para eles, conciliando essa preocupação com a própria decoração do espaço.

Escrivaninha

Caso o espaço seja grande, vale a pena investir em uma escrivaninha. Ela será útil para deixar alguns pertences, ler, executar qualquer atividade ou estudo, e até mesmo apoiar o notebook com mais cuidado. Busque alternativas ainda mais econômicas, como mesas menores ou modelos dobráveis. Assim, elas só ocupam uma determinada área na hora que estiverem sendo usadas.

Cobertores e travesseiros extras

E, por fim, para garantir o máximo conforto, invista em um jogo extra de cobertor e travesseiros. Eles acompanham o jogo de cama e as toalhas no cuidado com o hóspede, e dão ainda mais liberdade. Nas noites frias, eles poderão dormir confortavelmente sem precisar sentir vergonha de pedir esses itens aos donos da casa. Isso transmite a preocupação com a pessoa que você está recebendo, e traz um pouco de requinte e estilo para esse ambiente.

Colchão: saiba escolher o mais indicado para cada tipo de corpo

Colchão: saiba escolher o mais indicado para cada tipo de corpo

Dormir é uma atividade que envolve o descanso pleno do corpo e da mente. Apesar disso, muitas pessoas levantam da cama já com uma sensação de cansaço, e até mesmo dores musculares – sintomas que podem indicar problemas relacionados ao colchão utilizado.

Especialistas alertam que investir em um modelo errado pode acarretar na baixa produtividade diária, problemas na coluna e diminuir a qualidade de vida. Por isso, o colchão mais indicado é aquele que se adapte ao seu corpo, esteja em boas condições de uso e tenha uma densidade compatível ao seu biótipo.

Vale ressaltar que os colchões têm prazo de validade e devem ser trocados ao primeiro sinal de mal-estar. Além disso, um erro muito comum cometido por quem está em busca de economia é comprar colchões usados, o que pode ocasionar problemas ainda mais graves e a longo prazo.

Tipos de colchão

Os colchões de espuma são considerados os mais leves do mercado. Eles oferecem um toque suave ao corpo e podem garantir bem-estar por serem adaptáveis ao modo como o corpo se acomoda ao deitar. Enquanto isso, os de mola são resistentes e trabalham para que se encontre uma posição confortável para o usuário.

Os colchões tipo “caixa ortopédica” são mais duros, normalmente fabricados com madeira. Eles são indicados para pessoas que já têm algum problema na coluna, como escoliose; porém, eles podem causar uma tensão muscular indesejada. Os de viscoelástico são feitos pela Nasa e podem se moldar exatamente ao corpo, exercendo pressões diferentes em determinados locais.

Mesmo com todas essas características o ideal é que o corpo se sinta totalmente confortável ao deitar no colchão, seja ele qual for. Um colchão muito macio pode não garantir uma sustentação e estrutura adequada, assim como aqueles que são muito duros podem provocar dores.

Em todos os casos, especialistas recomendam que seja feita consulta ao médico ortopedista para que ele realize uma avaliação mais detalhada sobre as condições dos ossos e músculos do seu corpo e oriente o modelo de colchão mais adequado.

Densidade dos colchões

A densidade do colchão é uma característica que influencia diretamente no seu bem-estar. Isso porque, a partir dela, é possível definir qual dos modelos melhor se adapta ao seu corpo, em relação ao peso e altura.

Para uma pessoa com até 50 kg, a densidade indicada do colchão é D23. Já quem pesa entre 51 e 60 kg, a opção ideal são os colchões com D26. De 61 a 70 kg, o D28. A partir de então, é preciso considerar a altura do indivíduo a fim de fazer uma compra certeira.

Pessoas com 71 a 80 kg, devem utilizar colchões D33 e caso ela tenha uma altura igual ou superior a 1,61m, pode ser usado o D28. Quando o peso varia entre 81 e 90 kg, o indicado é o D33 ou D28, para quem tem mais de 1,71m. Entre 91 e 100 kg, a opção ideal é o D45 ou D33, para pessoas com mais de 1,71m. A partir daí, o mais indicado é investir no D45.

Como escolher o colchão das crianças

Como escolher o colchão das crianças

Existem diversas opções de colchão para os pequenos; entretanto, algumas características devem ser levadas em conta. A proteção, estabilidade e conforto são alguns dos principais pontos aos quais os pais devem ficar atentos. Da mesma forma, o modelo de colchão deve se adaptar às necessidades de cada criança – por exemplo, colchões que não causam alergias, problemas de coluna ou desconforto pelo material usado na fabricação.

Cada fase de crescimento das crianças requer um colchão específico. A qualidade não depende somente de ele ser confortável, mas também de o modelo ser o certo para a idade do pequeno. Dessa forma, a densidade do colchão é essencial. Na primeira fase, quando são bebês, a qualidade do sono influencia o desenvolvimento e comportamento deles.

Assim, o mais recomendável para os recém-nascidos é o tamanho D18, que se trata de um modelo especial, também aconselhável até os 3 anos de idade. Entretanto, alguns itens como o peso da criança podem mudar essa opção. Outra alternativa é o colchão D28, para as meninas/os maiores.

Os modelos de colchão também se aperfeiçoaram e permitem que os pais escolham aqueles que oferecem mais proteção para os filhos. Características específicas que diminuem as tosses, engasgos e regurgitação podem ser encontradas em certos colchões. E, assim, facilitar a vida dos pais e proporcionar um sono mais saudável para as crianças.

Entre os 3 e 8 anos, o modelo com densidade D28 se adapta à maioria dos casos. A diferença é que nessa idade eles preferem ter mais liberdade, então vão se mexer mais durante a noite. O ideal é um colchão confortável e macio, mas sem perder a firmeza que permite que ele tenha um posicionamento correto da coluna. Outro fator que deve fazer parte do modelo é ser a prova de ácaros.

Com o tempo, o sono das crianças e sua quantidade em horas vão mudando. Após os 9 anos, as necessidades são diferentes e, caso a criança esteja mais pesada, o colchão deve mudar de densidade. É normal essa troca de modelos; ainda assim, a maioria dos colchões apresenta ótima durabilidade.

Por último, ao comprar um colchão prefira por não adquirir um usado, já que ele pode ser fonte de bactérias. O modelo de espuma é melhor do que o de molas, devido ao desenvolvimento da estrutura óssea das crianças, que não esta totalmente formada para usar tal modelo. E pesquise os modelos que estão expostos junto com a cama nas lojas, nem sempre eles são os mais adequados para as crianças.

Os estágios do sono

Os estágios do sono

O sono humano tem cinco estágios, chegando até o REM (Rapid Eye Movement ou Movimento Rápido dos Olhos). Quando uma pessoa dorme, normalmente ela passa gradativamente do primeiro estágio aos demais, recomeçando os ciclos a cada 90 ou 110 minutos. Em cada uma dessas etapas, o cérebro age de uma maneira diferente, sendo que em algumas o corpo pode se movimentar enquanto em outras ele permanece imóvel.

Na primeira etapa, o sono está mais leve e a pessoa pode acordar facilmente. Os movimentos do corpo e dos olhos ficam mais lentos, o que pode acarretar em uma contração espasmódica nas pernas ou em outros músculos. São esses espasmos que dão a sensação de queda, o que pode acordar o indivíduo com um susto.

A segunda fase é a mais duradoura, chegando a ocupar 50% do tempo do sono. Nessa etapa, o corpo esfria, o movimento dos olhos para e a atividade cerebral fica mais lenta. Já na terceira etapa, começa o sono mais pesado; a pessoa que for acordada neste momento pode ficar desnorteada por um tempo.

A quarta etapa também é de sono profundo, sendo essencial para que a pessoa se sinta revigorada pela manhã. É nesse período que o cérebro descansa das atividades do dia, podendo começar a sonhar.

Já na quinta etapa, também conhecida como REM, a respiração se torna irregular, rápida e superficial e a maior parte dos sonhos acontece. O corpo se move involuntariamente e os olhos mexem de forma rápida. O REM caracteriza cerca de 20% do sono e começa geralmente entre 70 e 90 minutos depois de adormecer.

Importância da qualidade do sono

Para que você passe por todas essas etapas, é essencial que tenha uma boa noite de sono. Ou seja, é necessário criar as condições ideais para relaxar e, assim, descansar apropriadamente. Somente assim você garantirá uma boa memória e elevará a sua qualidade, sentindo-se mais disposto para aprender e realizar outras atividades no dia seguinte.

Para isso, um bom colchão é essencial. Grandes marcas, como a do colchão Castor e Ortobom, investem em pesquisas e tecnologias na fabricação de modelos de solteiro, casal, queen e king size, que garantem uma noite de sono adequada. O benefício é ainda maior em colchões para mais de uma pessoa; se um dos indivíduos estiver em um estágio diferente do sono e se mexer, ele não irá incomodar quem está em uma fase mais leve, por exemplo.

Colchões devem receber cuidados especiais durante o inverno

Colchões devem receber cuidados especiais durante o inverno

O inverno é o período do ano que mais registra casos de doenças e problemas respiratórios. Com a umidade do ar em níveis bastante baixos, é comum haver complicações decorrentes da quantidade de resíduos no ar, como poeira e poluição. O acúmulo de impurezas nos ambientes pode afetar as vias respiratórias e desencadear crises alérgicas e inflamatórias, como rinite, sinusite e bronquite.

Na hora de dormir, os efeitos podem ser ainda mais fortes. O colchão é um dos locais do quarto que mais acumula poeira e, por isso, deve receber atenção especial durante o inverno. Confira alguns cuidados que devem ser tomados em relação ao colchão nesse período e aproveite a estação fria com mais conforto e tranquilidade.

Utilize capas protetoras

A poeira e outros microrganismos presentes no ar podem ficar acumulados na superfície e dentro do colchão. Por isso, use sempre capas protetoras, dando preferência aos modelos mais grossos e impermeáveis, como os de viscoelástico. Como são menos porosos, esses materiais bloqueiam a passagem de impurezas e podem ser limpos frequentemente com mais praticidade.

Vire sempre seu colchão

Mover o colchão é fundamental para eliminar a poeira acumulada e estimular a circulação de ar puro sobre ele. Por isso, vire-o ao menos uma vez por semana. Caso seja possível, deixe as janelas abertas e deixe-o de pé por um tempo, pois isso facilitará a limpeza.

Troque os lençóis periodicamente

Os lençóis, fronhas e capas de almofada que ficam sobre a cama devem ser trocados e lavados semanalmente. Se você já estiver com sintomas de problemas respiratórios, vale a pena investir em uma roupa de cama antialérgica e fazer a troca com ainda mais frequência.

Não use cobertas e edredons com colcha

Cobrir-se com edredons ou cobertores que ficaram o dia todo sobre a cama pode fazer com que a poeira acumulada sobre eles fique em contato direto com você. Por isso, utilize uma colcha durante o dia para proteger o colchão e os lençóis e retire-a completamente da cama durante a noite. Da mesma forma, guarde os cobertores em armários ou outros locais protegidos de poeira durante o dia, para que fiquem limpos e sem resíduos na hora de utilizá-los.

Saiba quais colchões podem ajudar a afastar mosquitos e insetos

Saiba quais colchões podem ajudar a afastar mosquitos e insetos

Durante o sono, é importante ficar livre de incômodos e descansar com a tranquilidade de não ser picado por insetos e mosquitos. Por isso, algumas marcas desenvolvem colchões com tecidos tratados com substâncias de ação repelente, como ervas, que ajudam a afastar os bichos e deixar a noite mais agradável.

Ainda que a proteção não consiga atingir todo o quarto e não dispense o uso de repelentes específicos, principalmente em regiões de grande incidência de pequenos animais, ela age ao redor do colchão e evita que pernilongos e outros insetos fiquem sobre a cama e perturbem o seu sono. Confira abaixo as ervas que são usadas para essa proteção e qual o efeito de cada uma:

Aloe Vera

Usada amplamente em cosméticos e outros tipos de produtos para saúde, a aloe vera é uma planta de natureza gelatinosa com propriedades cicatrizantes e curativas. Sua fragrância suave é utilizada para repelir mosquitos e insetos, o que torna bastante frequente a sua utilização em loções e outros tipos de produtos de beleza.

Quando aplicada ao tecido que reveste o colchão, a aloe vera libera uma fragrância e espalha naturalmente o seu aroma. Além disso, ela atua sobre a pele e causa uma sensação de bem-estar. Suas propriedades anti-inflamatórias e anestésicas também agem sobre o corpo de maneira geral, aliviando dores variadas e deixando o sono ainda mais agradável.

Camomila

A camomila é muito usada no tratamento de tecidos para colchões devido à sua ação relaxante. Essa erva tem propriedades calmantes e é bastante usada em travesseiros e máscaras para os olhos, pois acalma a pele e deixa um aroma delicado ao fundo.

Mais recentemente, a camomila passou a ser usada como componente de repelentes naturais em combinação com outros tipos de substâncias. Alguns modelos de colchão possuem até mesmo microcápsulas de camomila, que estouram quando você se deita e liberam instantaneamente o aroma. O perfume delicado ajuda a afastar os insetos e proporciona um sono mais profundo, aumentando a sensação de descanso.

Conheça as principais consequências da falta de sono

Consequências da falta de sono

A maioria dos animais possui um ciclo biológico composto por atividade e descanso. Longe de serem um luxo, as horas dormidas são fundamentais para que o organismo trabalhe adequadamente, promovendo a saúde física e mental. A falta de sono ou poucas horas de repouso podem comprometer diversas tarefas do dia a dia, inclusive a produtividade no trabalho. Saiba mais:

O sono é uma atividade ativa

Embora o sono seja visto como uma tarefa passiva, já que é o momento de repor as energias e não fazer nada, ele é um período no qual o cérebro continua trabalhando. Durante o tempo que uma pessoa dorme, acontecem importantes fenômenos em seu corpo, como relaxamento postural, funções endócrinas e imunes, além de associação do que aconteceu no dia, o que favorece a memória.

O sono ajuda a criar novas conexões neuronais e a descartar tudo o que não tem importância para o cérebro, ou seja, informações que foram vistas apenas uma vez ou passaram despercebidas, como uma placa. Por outro lado, a privação do sono ativa genes relacionados ao estresse. Portanto, dormir bem é uma das soluções para garantir bem-estar e melhorar a aprendizagem.

Regulação metabólica

Um estudo da Sociedade Real de Saúde Pública da Espanha apontou que o sono está intimamente ligado à regulação do metabolismo, principalmente em crianças. Isso pode acarretar em um descontrole na hora de se alimentar, pois o corpo tenta recompensar o estresse em alimentos mais gordurosos. Para quem pretende emagrecer, vale a pena tirar um tempo a mais para descansar.

Atenção e foco

Diversas atividades do dia a dia exigem atenção e foco, que só podem existir quando o corpo está bem descansado; dirigir é uma delas. De acordo com o órgão de segurança de estradas dos Estados Unidos (NHTSA, em inglês), cerca de 40 mil pessoas ficam feridas anualmente por falta de sono.

Já a Harvard Medical School apontou que 250 mil motoristas dormem ao volante nos Estados Unidos. Além do risco de acidentes graves no trânsito, dormir pouco aumenta as chances de de alguém se machucar dentro de casa, porque a mente fica desatenta.

Rendimento físico

Para quem gosta de praticar atividade física ou se exercitar por saúde, é importante lembrar que as noites bem dormidas são fundamentais para garantir o rendimento esperado. Quando o corpo faz musculação, por exemplo, é necessário um processo de regeneração para que os músculos sejam desenvolvidos e o organismo recupere a energia gasta.

Como dormir melhor

Algumas mudanças simples podem ajudar as pessoas a terem noites melhores. Escolher um colchão adequado para seu peso, deixar o ambiente silencioso e longe de luminosidade e diminuir o ritmo no período da noite são fatores importantes. Também é válido se distanciar um pouco dos aparelhos eletrônicos antes de deitar e, se necessário, tomar um chá para relaxar e conseguir ter um sono profundo.

Apesar de ser comum, a insônia não pode ser vista como um hábito natural do corpo. As pessoas que sofrem com a falta de sono ou acordam frequentemente de noite precisam buscar ajuda médica, a fim de averiguar as causas e receber o tratamento adequado.

A importância do sono para crianças em fase de crescimento

A importância do sono para crianças em fase de crescimento

Com o excesso de energia e a curiosidade que a maior parte das crianças e adolescentes costuma ter, a hora de dormir pode acabar excedendo o seu limite convencional ou durando menos que o previsto. Ainda que os pequenos não demonstrem sinais de cansaço no dia seguinte ou a necessidade de dormir mais, não é possível deixar que a percepção infantil interfira em um processo muito importante nessa idade: o crescimento.

O sono possui quatro fases. A primeira delas é a de vigília, quando há liberação de melatonina e a indução à sonolência. Na segunda fase, o corpo já está relaxado e a diminuição dos batimentos cardíacos e da pressão sanguínea é significativa. Esse momento é fundamental para os jovens, pois a economia de energia com as funções básicas do corpo favorece a restauração dos tecidos movimentados durante o dia, o aumento da massa muscular trabalhada e a liberação do hormônio do crescimento (GH).

Liberado pela hipófise, glândula localizada na parte inferior do cérebro, o hormônio do crescimento contribui tanto para o aumento da estatura das crianças quanto para a composição de sua estrutura óssea e muscular. Por isso, é fundamental que as crianças e os adolescentes tenham noites de sono de qualidade e durmam a quantidade de horas recomendada para sua idade. Os pequenos entre 1 e 5 anos devem dormir de 10 a 14 horas, e esse valor cai de 9 a 11 horas para as crianças de 6 a 12 anos. Já os adolescentes entre 14 e 17 anos devem dormir entre 8 e 9 horas para ter o devido descanso e completar a sua fase de crescimento. Devido a importância de se ter uma boa noite de sono, é imprescindível escolher um bom colchão infantil para que as criança durma bem e descanse.

Hábitos

Para que as crianças durmam no horário correto, estabeleça uma rotina específica para a noite. Não deixe que elas façam as lições escolares até tarde – as atividades devem ser feitas preferencialmente antes do jantar – e não deixe que os aparelhos eletrônicos sejam usados neste horário. Os pequenos tendem a se distrair quando estão envolvidos em jogos e afins, podendo perder a noção de tempo e acabam indo dormir muito tarde. Além disso, a excitação mental faz com que as crianças demorem mais tempo para relaxar, tornando o sono mais conturbado e menos profundo.

Os adolescentes também devem seguir as mesmas recomendações. Ainda que a vontade de assistir à televisão ou ficar na internet seja grande, defina um limite para o horário em que eles podem ficar conectados. Também não é recomendado que o celular permaneça ligado à internet enquanto eles dormem, já que as notificações sonoras do aparelho podem acordá-los e prejudicar a qualidade de sono. As crianças e adolescentes devem evitar atividades intensas antes do sono, sobretudo em dias escolares em que o horário de acordar não pode ser alterado. Filmes de ação ou de terror, por exemplo, devem ser evitados à noite, pois a ansiedade que eles causam pode interferir no sono.

Dicas para dormir melhor durante o pós-operatório

Dicas para dormir melhor durante o pós-operatório

Muitas pessoas que passam por cirurgias ou procedimentos mais invasivos encontram dificuldades na hora de dormir. Seja pelo desconforto causado, seja pela dúvida em relação à posição correta, muitas pessoas acabam passando as primeiras noites do pós-operatório em claro e, com isso, não têm o descanso necessário para uma recuperação rápida e eficaz.

Para que você possa desfrutar de um sono tranquilo e confortável após procedimentos cirúrgicos, confira abaixo nossas dicas e garanta o devido descanso para o seu corpo.

Colchão

Para que não haja pontos de pressão no corpo, o que pode comprometer a circulação, é preciso que o colchão seja tanto firme quanto macio ao toque. Se você estiver acostumado a um modelo mais duro, vale a pena investir em um a cobertura mais confortável ou mesmo um outro colchão.

Para quem precisa ficar por muito tempo deitado, o ideal é escolher um modelo que não acumule o calor. O látex é um bom material, pois sua espuma é mais fria e não costuma aquecer excessivamente. Tecidos de algodão e fibra natural são boas opções de revestimento externo do colchão, deixando sua superfície mais fresca. Também é interessante optar por lençóis semelhantes, para que eles contribuam com a temperatura.

Travesseiros

Pessoas que fizeram grandes cirurgias e estão com dificuldades para se moverem sem alguma ajuda devem dormir com um travesseiro alto, que facilita a respiração e permita que a pessoa levante com mais facilidade no meio da noite. Também é importante deixar travesseiros próximos aos braços, para que eles ajudem na hora de dar impulsos e se mover confortavelmente. Travesseiros sob as pernas são importantes para evitar inchaços, que tendem a ser comuns em quem precisa de um repouso prolongado.

Da mesma forma que os colchões, eles devem ter uma superfície fresca e macia, que não cause atritos com a pele. Evite peças com muitos bordados ou aplicações, pois os adornos podem enroscar na roupa de cama ou mesmo arranhar a pele.

Posição

O mais recomendado para pessoas que estão se recuperando de uma cirurgia é dormir de barriga para cima, a menos que a operação tenha sido na região que estará em contato com o colchão nesta posição. Isso faz com que a respiração seja mais fácil, não causando pontos de pressão muito expressivos na pele. A posição também permite movimentos mais fáceis e rápidos, além de ser ideal para estimular a circulação. Quando sentir a necessidade de se virar, tente ficar levemente de lado – isso alivia o corpo e não prejudica a área operada.

Ficar levemente de lado é a posição mais recomendada para pessoas que não podem ficar de barriga para cima devido à natureza de sua cirurgia. Nesse caso, elas devem tomar cuidado com o atrito na região de corte e restringir os impactos sobre ela. Sentar-se também deve seguir as mesmas indicações, já que o apoio e a pressão na porção afetada podem interferir na recuperação.

As recomendações acima são gerais e benéficas, mas é imprescindível consultar um médico sobre os procedimentos corretos. As recomendações devem ser seguidas à risca, pois cada paciente apresenta características e necessidades diferentes.